Manhã de domingo

Padrão

Daqui a pouco é hora de ir até o fundo da gaveta, ou em uma caixa empoeirada no guarda-roupa, ou revirar a casa inteira, para pegar um documento.

Depois de um café da manhã leve (ou reforçado, dependendo do tempo em que ficará fora de casa), pega o carro (ou vai a pé, ou de ônibus, de acordo com a distância) e vai em direção a um lugar que há tempos não ia. No caminho, encontrará conhecidos de não via há anos, por falta de tempo (ou por falta de vontade mesmo). Chega no endereço marcado,  se depara com papéis cheios de números e rostos sorridentes jogados no chão.

Subirá as escadas e pegará uma fila básica (afinal, adoramos ficar em uma fila, mesmo que seja numa manhã de domingo). Espera a sua vez tentando lembrar os números que, daqui a poucos segundos, serão registrados em uma máquina com tela pequena preto-e-branco.

Vai lá, entra na salinha, entrega o documento, vai até uma carteira coberta com papelão, digita algumas sequências numéricas, aperta algumas teclas para gravá-las na memória do terminal eletrônico. Pronto!!

Para alguns, um ritual automático. Para outros, a sentença que poderá mudar o seu destino.

Eleições. Obrigatórias por imposição, exercício de democracia para os que se importam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s